Milho transgênico ameaça as Borboletas Monarcas



Experimentos conduzidos em laboratório demonstraram que larvas da borboleta monarca cultivadas em folhas de serralha pulverizadas com o pólen do milho Bt alimentavam-se menos, cresciam mais lentamente e apresentavam maior índice de mortalidade do que aquelas cultivadas em folhas pulverizadas com o pólen não-transgênico ou em folhas sem pólen.Os resultados obtidos no ano de 1999, inicialmente refutados por Wraight et al. (2000), foram posteriormente confirmados e estendidos por Jesse e Obrycky
(2000), os primeiros a evidenciar que o pólen do milho Bt naturalmente depositado
em serralhas causava significante mortalidade das larvas da borboleta monarca.
O número de borboletas monarca no México, onde estes insetos migratórios passam seus invernos, declinou para o mais baixo já registrado.
Embora a queda nos últimos dois anos seja pequena e esteja sendo atribuída principalmente a fatores climáticos, biólogos e observadores do inseto estão alarmados pela significativa tendência de declínio no tamanho das colônias. Nos anos 1990, as borboletas monarca ocupavam uma média de cerca de 9 hectares de florestas a cada inverno (estima-se que as colônias de monarca reúnam mais de 60 milhões de insetos por hectare), mas ao longo dos últimos 10 anos este tamanho caiu para menos de 5 hectares, segundo números registrados por pesquisadores da Universidade do Kansas (EUA).
As borboletas monarca são encontradas em muitas partes do Canadá, mas as maiores populações estão nas áreas ao Sul de Ontário e Quebec. As borboletas que migram para o sul no outono são as chamadas “geração matusalém”, insetos de longa vida que viajam mais de 2.500 km até o México, onde passam o inverno em colônias densas sob as árvores.
Estas borboletas então começam a migração de volta para o norte na primavera, para áreas próximas ao Texas, onde procriam, produzindo uma prole cuja descendência retorna ao Canadá a cada verão para repetir o ciclo. As monarcas que passam o inverno no México podem viver até oito meses, mas aquelas que migram para o norte vivem apenas algumas semanas.
O que está em risco com a queda das colônias de borboletas monarca é justamente o fenômeno da migração.
O Dr. Orley Taylor, professor de ecologia na Universidade do Kansas e diretor do Programa de Observação das Monarcas, explica que embora o clima possa afetar os números da população de ano para ano, as monarcas estão sofrendo de uma perda de habitat. Um problema é a massiva expansão de milho e soja transgênicos plantados. Estas lavouras levaram a uma aumento no uso de herbicidas, que eliminaram as plantas suculentas das quais as larvas da borboleta dependem para se alimentar.

N.E.: As borboletas monarca ficaram internacionalmente famosas em 1999, quando um artigo publicado pela revista Nature demonstrou que o pólen de milho transgênico Bt, que produz toxinas letais a lagartas, matava as larvas de monarcas, consideradas “insetos não alvo” da tecnologia.

Créditos:
Fontes de pesquisa:
http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/cp058682.pdf

http://www.aspta.org.br
Foto:
http://www.flickr.com/photos/randysonofrobert/

4 comentários:

Rosie disse...

Beautiful photos

welcome to NNB.

Ted C. MacRae disse...

Your post on the "threat" of transgenic corn to monarch butterflies ignores later, more thorough research that shows virtually no threat at all. See http://www.ars.usda.gov/is/br/btcorn/.

Borboleta.org disse...

Thank you, Rosie.

Borboleta.org disse...

Okay, Ted.