9 de fev. de 2020

Significado e Simbolismo da Borboleta: As Borboletas gêmeas, Mitologia Aborígene



As Borboletas gêmeas

No Tempo do Sonho, uma mulher deu à luz a duas filhas gêmeas. Embora ambas tenham sofridas deformidades faciais visíveis, a beleza interior das filhas eram óbvias para a sua amorosa mãe.
Infelizmente, os outros membros da comunidade não foram tão receptivos com as duas meninas.

As pessoas ficaram tão enojadas com as gêmeas que rapidamente as irmãs foram instruídas a ficarem longe do resto da tribo.
As irmãs não tinham amigos para brincar, pois as outras crianças tinham medo delas.

Com o passar dos anos, a mãe ensinou suas filhas a colherem flores e usá-las para fazer uma bebida deliciosa e doce. As meninas logo se tornaram tão hábeis e conhecidas por produzir esse néctar que, depois que a mãe das meninas morreu, a tribo decidiu manter elas por perto.

Sem amigos e sem o apoio da mãe, as meninas ficaram muito infelizes e solitárias. Um dia o Grande Todo Pai teve pena das irmãs gêmeas e transformou elas em borboletas.
A tribo inteira testemunhou a transformação e ficou impressionada com a beleza das meninas.

Eles tentaram se aproximar das irmãs para poder apreciá-las melhor, mas elas foram embora.
Elas decidiram que, como a tribo não suportava olhar para elas quando eram deformadas, eles não mereciam ver elas agora.

É por isso que, mesmo agora, se você vê uma borboleta, você pode ter apenas alguns preciosos segundos para apreciar a sua beleza antes que a borboleta voe para longe.

Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização.
Copyright © 2010- Borboleta.org Todos os direitos reservados.

Significado e Simbolismo da Borboleta: O Morcego e a Borboleta, Mitologia Aborígene



O Morcego e a Borboleta

No Tempo do Sonho, um jovem sequestrou uma bela jovem e a manteve como prisioneira em uma caverna.

Sua família ficou muito triste por não conseguir resgatá-la da caverna.
Em desespero, a jovem se transformou em uma bela borboleta e voou para bem longe da caverna.

Então, o jovem sequestrador se transformou em um morcego para poder voar atrás dela, mas ele foi levado de volta à caverna pelos familiares da garota e não conseguiu mais sair da caverna.

É por isso que, hoje em dia, a borboleta voa livre no céu e o morcego vive em uma caverna escura.

Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização.
Copyright © 2010- Borboleta.org Todos os direitos reservados.

8 de fev. de 2020

Significado e Simbolismo da Borboleta: Piedade filial, Folclore japonês



Um jovem cujo o trabalho e o hobby era a jardinagem casou-se com uma jovem com um interesse idêntico ao seu. Eles viviam apenas um para o outro e seus arbustos e plantas, mas na meia-idade eles tiveram um filho, que herdou o amor pelas plantas e pelas flores de seus pais jardineiros.

Os pais morreram alguns dias após a velhice, quando o filho ainda era jovem.
O jovem cuidava das flores e das plantas dos pais com mais cuidado do que nunca, se isso fosse possível, pois ele sentia que o jardim continha os espíritos de sua mãe e de seu pai.

Durante a primeira primavera seguinte à morte de seus pais, ele viu duas borboletas no jardim. Pessoa gentil que ele era, ele cuidava com mais carinho das plantas em que as borboletas gostavam de se estabelecer, e como a primavera se transformou em verão, ele sonhou numa noite que seus pais haviam voltados ao jardim e caminhavam juntos, olhando cada planta com cuidado, como jardineiros.

De repente, o casal no sonho se transformou em borboletas e desta forma continuaram a examinar cada flor. Na manhã seguinte, o mesmo par de borboletas estava, como sempre, no jardim e o jovem sabia então que a alma de seus pais descansavam nas borboletas e que dessa forma, eles ainda desfrutavam do jardim.

Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização.
Copyright © 2010- Borboleta.org Todos os direitos reservados.

Significado e Simbolismo da Borboleta: A Borboleta Branca, Folclore japonês



Atrás do cemitério do templo de Sozanji, nos subúrbios da capital, havia a muito tempo uma cabana solitária, ocupada por um senhor de idade chamado Takahama. Ele era muito querido na vizinhança, por causa de seus modos amáveis; mas quase todo mundo achava que ele era um pouco louco.

A menos que um homem faça os votos budistas, espera-se que ele se case e crie uma família. Mas Takahama não pertencia à vida religiosa; e ele não pôde ser persuadido a se casar. Também nunca se soube que ele mantinha uma relação de amor com nenhuma mulher. Por mais de cinquenta anos, ele viveu completamente sozinho.

Em um verão, ele ficou doente e sabia que não tinha muito tempo para viver. Ele então chamou sua cunhada, uma viúva e seu único filho, um rapaz de cerca de vinte anos, a quem ele era muito apegado. Ambos vieram prontamente e fizeram o que podiam para acalmar as últimas horas do senhor Takahama.

Numa tarde abafada, enquanto a viúva e o filho observavam ao lado da cama, Takahama adormeceu. No mesmo momento, uma borboleta branca muito grande entrou na sala e pousou no travesseiro do senhor Takahama. O sobrinho espantou ela com um leque; mas a borboleta voltou imediatamente para o travesseiro e foi novamente afastada, ela voltou pela terceira e última vez e foi embora.

Então o sobrinho a perseguiu no jardim, e através do jardim, através de um portão aberto, até o cemitério do templo vizinho. Mas continuou a flutuar diante dele como se não quisesse ser levada para mais longe, e agiu de maneira tão estranha que ele começou a se perguntar se era realmente uma borboleta ou um espírito maligno. Ele novamente a perseguiu e a seguiu até o cemitério, até vê-la voar contra uma sepultura - a sepultura de uma mulher. Lá desapareceu inexplicavelmente; e ele procurou em vão pela borboleta branca.

Ele então examinou o monumento. Tinha o nome pessoal "Akiko”, juntamente com um nome de família desconhecido e uma inscrição informando que Akiko morrera aos dezoito anos de idade. Aparentemente, a sepultura havia sido erguida cerca de cinquenta anos atrás: o musgo havia começado a se acumular nela. Mas fora bem cuidada: havia flores frescas à sua frente; e o tanque de água havia sido enchido recentemente.

Ao retornar ao quarto do tio, o jovem ficou chocado com o anúncio de que seu tio havia parado de respirar. A morte chegara ao senhor Takahama sem dor; e o rosto morto sorriu. O jovem contou à mãe o que tinha visto no cemitério.

"Ah!" exclamou a viúva, "então deve ter sido Akiko!" ...
"Mas quem era Akiko, mãe?" o sobrinho perguntou.
A viúva respondeu: -

"Quando seu bom tio era jovem, ele estava noivo de uma garota encantadora chamada Akiko, filha de um vizinho. Akiko morreu pouco antes do dia marcado para o casamento; e seu prometido marido ficou muito triste. Depois que Akiko foi sepultada, seu tio fez um voto para nunca se casar e construiu esta casinha ao lado do cemitério, para estar sempre perto do túmulo dela.

Tudo isso aconteceu há mais de cinquenta anos atrás. E todos os dias desses cinquenta anos - inverno e verão da mesma forma - seu tio foi ao cemitério, orou na sepultura, varreu a tumba e colocou oferendas diante dela, mas ele não gostava de fazer menção ao assunto, e nunca falou sobre isso ... Então , finalmente, Akiko veio buscá-lo: a borboleta branca era sua alma. "

Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização.
Copyright © 2010- Borboleta.org Todos os direitos reservados.

Significado e Simbolismo da Borboleta: Lenda do Índio Americano



De acordo com uma lenda que existe na América do Norte:

Se alguém deseja que um desejo se torne realidade, primeiro deve capturar uma borboleta e sussurrar o que deseja.

Como uma borboleta não pode emitir som, a borboleta não pode revelar o desejo a ninguém, exceto ao Grande Espírito, que ouve e vê tudo.

Em gratidão por dar liberdade à bela borboleta, o Grande Espírito sempre concede o desejo.

Assim, segundo a lenda, ao fazer um desejo e dar liberdade à borboleta, o desejo será levado ao céu e concedido.

Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização.
Copyright © 2010- Borboleta.org Todos os direitos reservados.

4 de fev. de 2020

Biólogo alemão cuida da maior coleção de borboletas do Brasil e da AL



É uma paixão que já dura mais de 60 anos a do professor e biologo Olaf Hermann Hendrik Mielke com as borboletas que ele coleciona. Ele decidiu ainda na infância que dedicaria a vida a estudar esse inseto.

Nascido na Alemanha ele veio com a família para o Brasil depois da Segunda Guerra Mundial e há quase cinco décadas é professor da Universidade Federal do Paraná. Mesmo já aposentado ele passa a maior parte do tempo do dia cuidando da coleção e dos laboratórios onde compartilha o conhecimento com os alunos.

Nem mesmo nas férias ou nos fins de semana o pesquisador abandona os estudos e a coleta de borboletas.

Essa é a maior coleção de borboletas do Brasil e de toda a América Latina. Nesses armários tem mais de 325 mil exemplares, todas catalogadas e guardadas. Existem espécies de todas as partes do mundo.
Texto por borboleta.org



Olaf Hermann Hendrik Mielke


22 de jan. de 2020

Colecionador doa borboletas ao Museu Nacional do Rio de Janeiro



Colecionador doa borboletas ao Museu Nacional do Rio de Janeiro


Um morador de Brasília decidiu doar uma coleção rara de borboletas e insetos para o Museu Nacional do Rio de Janeiro.

A coleção era do pai dele um biologo apaixonado por borboletas e insetos, o pai dele morreu e deixou todo o acervo para o seu Luiz Cláudio Stawiarski, tudo estava guardado lá na casa dele no Lago Sul, até que um evento mudou toda essa história, o Museu Ncional do Rio de Janeiro pegou fogo e aí o seu Luiz Cláudio Stawiarski decidiu doar esse acervo para continuar contando a história dessas espécies.

Victor Stawiarski foi professor do Museu Nacional do Rio de Janeiro por 30 anos, o incêndio atingiu o museu na noite de 2 de setembro de 2018, quase todas as borboletas da exposição foram completamente destruídas pelo fogo.
Texto por www.borboleta.org

18 de jan. de 2020

Observação de borboletas



A observação de borboletas


As borboletas encantam pela beleza, mas elas também polinizam as plantas e são indicadoras da saúde de um ambiente.

No Brasil, existem mais de 3200 espécies, todas identificadas pelo biólogo e pesquisador Gustavo Accácio. Ele quer popularizar a observação de borboletas.

Nos parques de São Paulo, há cerca de 500 espécies de borboletas. Para observá-las, é preciso treinar o olhar. Algumas espécies se camuflam, como se fossem folhas, para escapar dos predadores. Outras, buscam o sol nos lugares mais alto.

De manhã, quando o sol nasce, elas procuram um lugar onde o sol esteja batendo e ficam de asas abertas ali. Usam as asas como se fossem radiadores solares, assim, pra captar a energia e com isso aquecer os músculos para que elas possam, depois, começar a voar pra procurar alimentos, procurar parceiros, fazer o que elas fazem normalmente.

Outra dica é procurar os parques que tenham muitas flores. 75% das 3200 espécies de borboletas que existem no Brasil gostam de flores.

Dizem que quando uma borboleta pousa em você é sinal de sorte. Também dizem que a borboleta é símbolo da liberdade, por causa da leveza e porque ela voa. E ela também é símbolo da metamorfose, pela transformação que ela passa, da lagarta feia pra borboleta bonita. Também dizem que elas são como flores que voam. O que não falta é poesia, em torno das borboletas.
Texto por www.borboleta.org

3 de nov. de 2015

Taygetis laches


Crédito imagem: Didier Descouens


Família:
Nymphalidae

Gênero:
Taygetis

Espécie:
Taygetis laches

Quem nomeou a espécie:
(Fabricius, 1793)

Distribuição:
A espécie Taygetis laches é encontrada em várias regiões do Brasil.

Particularidades:
A lagarta da espécie Taygetis laches se alimenta de plantas da família Poaceae (Olyra, Acroceras e Panicum)