O BICHO-DA-SEDA E A LENDA CHINESA


Foto cortesia: Carlos Fonseca



O BICHO-DA-SEDA
O bicho-da-seda é a lagarta da mariposa (Bombyx mori), produz um fio (seda) para formar o casulo. Pode-se dizer que atualmente é um inseto doméstico, provavelmente não mais existindo em liberdade na natureza.
A mariposa adulta é de cor creme e mede cerca de 5 cm, não voa e nem come.
Depois de fecundada, a fêmea chega a colocar até 500 ovos, de onde saem as lagartas, que são os bichos produtores propriamente dito da seda.
As lagartas comem grande variedade de folhas, inclusive as de alface. A melhor seda é, entretanto, obtida a partir das que se alimentam com folhas de amoreira. Nas folhas de amoreira se encontram proteínas e resinas que acrescentam resistência e brilho à seda.
O bicho-da-seda é um inseto originário da China, a China e o Japão foram os primeiros países que desenvolveram a técnica de obtenção da seda a partir do casulo do bicho-da-seda.
Encontram-se no Japão as condições ideais tanto para a criação como para o cultivo da planta que serve de alimento, a amoreira. Existem muitas variedades de amoreira, todas, porem, de rápido desenvolvimento. É possível cortar folhas dessa árvore várias vezes ao dia.

A sericicultura:
O cultivo do bicho-da-seda começa com a coleta de ovos do inseto adulto. Esses ovos são deixados em incubadeiras especiais, onde atingem o estado de larva. Colocadas em folhas de amoreira, as larvas crescem rapidamente e, depois de trocarem a pele quatro vezes, entram na fase de tercer o casulo à sua volta. Então são transportadas para um lugar especial.
Quando os casulos estão prontos, são colocados em estufas, onde as lagartas morrem e secam. Algumas são preservadas e completam a metamorfose.
Os casulos secos são depositados em bacias, lavados em água quente e esfregados com escovas especiais. Cada casulo é formado por um único fio de seda, que mede cerca de 900 metros. Para produzir cerca de um quilo de seda são necessários aproximadamente 6 mil casulos.


A LENDA CHINESA
Conta-se que uma jovem imperatriz chinesa ficou impressionada ao observar o casulo que um inseto tecera em volta de si, sobre uma amoreira. Colocou-o no chá que tomava, para amolece-lo, e o desenrolou, obtendo um fio muito bonito, leve e brilhante.
A imperatriz começou então a cultivar aquele inseto até obter fio suficiente para tecer uma roupa.


Texto por: http://www.borboleta.org/

Nenhum comentário: